Pré-eclâmpsia na gravidez

A pré-eclâmpsia se não for diagnosticada e tratada a tempo pode gerar riscos para a mãe e bebê.

16/07/2008 12h03m. Atualizado em 31/10/2014 21h35m por:

 

Pré Eclâmpsia na gravidezPré eclâmpsia na gravidez, consiste na subida da pressão arterial nas últimas semanas da gravidez, geralmente a partir da 20ª semana. Ao contrário da pressão alta normal, a pré-eclâmpsia também afeta outros órgãos do corpo, como os rins e a placenta.

Sintomas pré-eclâmpsia

Os sintomas da pré-eclâmpsia são dor de cabeça persistentes, dores nas costelas, visão embaçada, vômitos, inchaço nos pés e mãos, convulsões, aumento fora do normal do peso corpóreo e proteinúria, isto é, perda de proteína pela urina. O perigo esta na eclâmpsia que coloca mãe e bebê em risco.

O diagnóstico da pré-eclâmpsia na gravidez é realizado com base nos sintomas da paciente, nos níveis elevados da pressão arterial, na história clínica, e nos resultados de exames laboratoriais de sangue e de urina. Por isso, em todas as consultas, o obstetra deve controlar a pressão, fazendo sua medição.

Pré Eclâmpsia na gravidez 2

Na gravidez ficar alerta quanto a pressão arterial

Caso a pré-eclâmpsia aparecer próximo à data do parto, o obstetra recomendará a antecipação do nascimento. Ao contrário, se surgir quando o bebê ainda é prematuro, é recomendável o descanso no hospital, para que o bebê se forme por completo.

Na Pré-eclâmpsia leve a pressão arterial fica entre 140/90 mmHg e 159/109 mmHg, e não existe sintomas neurológicos.Enquanto que na Pré-eclâmpsia severa a pressão arterial é maior ou igual a 160/110 mmHg, e há sintomas neurológicos.

Causas da pré-eclâmpsia

Fatores de riscos: primeira gestação, espaço de dez anos entre duas gestações, gravidez após os 40 anos, obesidade, problemas do sistema circulatório, hipertensão, lúpus, diabetes, gravidez de gêmeos ou mais e histórico familiar.

Tratamento para pré-eclâmpsia

Para pré-eclâmpsia leve, o tratamento consiste em ficar em repouso, de preferência deitada na posição do lado direito, acreditam que com essa posição haverá uma melhor circulação sanguínea para o útero e rins. Se o médico achar necessário ele indicará um anti-hipertensivos. E no mais é aguardar um parto natural até 40 semanas.

Pré Eclâmpsia na gravidez 3

Pré Eclâmpsia tem que ter cuidados especiais

Enquanto que na pré-eclâmpsia grave, a gestante deverá ficar internada no hospital para um controle mais rigoroso. Só é indicado a interrupção da gravidez, quando ocorre sofrimento fetal ou iminência de eclâmpsia ou para salvar a vida da mulher.

Perigos: Se a pré-eclâmpsia não for tratada precocemente, pode prejudicar a gestação e trazer riscos de morte tanto para mãe quanto para o bebê, a pré-eclâmpsia pode impedir a circulação sanguínea para a placenta.

Sobre o autor:

Vandeni Navarro

Vandeni Navarro

Formada em pedagogia pela UNITAU, especializou-se na área de crianças especiais. Mãe de dois filhos, atualmente dedica-se ao blog e a família.
Deixe seu comentário

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *