Pré-Eclâmpsia: Diagnóstico, Evitar e Tratar

A pré-eclâmpsia pode ser evitada ou mesmo tratada com um bom pré natal. Prevenção é o melhor remédio.

27/07/2012 12h10m. Atualizado em 08/04/2013 14h10m por:

 

pré-eclâmpsiaCerto dia eu parei pra pensar a loucura que deve ser a formação de um ser, totalmente diferente de nossa genética dentro do nosso útero. Falando assim: “ser geneticamente diferente”, vocês podem até achar que estou sendo fria, mas, não. É curiosidade. Já pararam pra pensar que perfeição é o ato de gerar um filho?

Nosso corpo costuma rejeitar qualquer corpo estranho que se forma no organismo mas, isso não acontece com o bebê. E sabem por quê? Porque desenvolvemos mecanismos imunológicos para proteger o feto em desenvolvimento. Mas, em alguns casos, liberamos proteinas na circulação é aí que mora o perigo: a gestante tem uma resposta imunológica que agride a parte externa dos vasos sanguíneos, resultando no aumento da pressão arterial e na vasoconstrição. Ou seja, a hipertensão arterial que recebe o nome de pré-eclampsia.

É a partir da 20ª semana de gestação (5º mês) que o problema (no caso pré-eclampsia) se instala e se não cuidada, pode evoluir para a eclâmpsia, forma grave da doença que põe a vida de mãe e filho em risco. Infelizmente, as causas dessas doenças ainda não estão bem esclarecidas pelos médicos. A única coisa certa, é que a hipertensão arterial (que pode ser crônica ou específica da gravidez) é associada diretamente com as doenças.

Sintomas da Pré Eclâmpsia

(Ela também pode ser assintomática)
– hipertensão arterial;
– edema (inchaço) nos nos membros inferiores (surgem principalmente com pressão arterial elevada, excesso exagerado de peso e perda de proteína pela urina);

Sintomas da eclâmpsia

– Convulsão (pode apresentar dor de cabeça, disturbios visuais e e do estômago um pouco antes do episódio convulsivo);
– Sangramento vaginal;
– Coma.

Problemas que podem levar pré-eclampsia

Alguns fatores podem favorecer um diagnóstico de pré-eclampsia. Trouxemos uma lista deles já que alguns podem ser eliminados pela adoção de hábitos de vida mais saudáveis. São eles:
1) hipertensão arterial sistêmica crônica;
2) primeira gestação;
3) diabetes;
4) lúpus;
5) obesidade;
6) histórico familiar ou pessoal das doenças supra-citadas;
7) gravidez após os 35 anos e antes dos 18 anos;
8) gestação de gêmeos

Uma vez instalada a pré-eclámpsia só pode ser controlada para não evoluir ao grau de risco (eclâmpsia). Para isso, é imprescindível o acompanhemtno rigoroso com o pré-natal da mamãe e do bebê.

Controle da pré-eclâmpsia

As futuras mamães com pré-eclampsia precisa FAZER REPOUSO e medir a pressão diariamente, além de comer alimentos com o mínimo de sal possível.

Para um controle mais rígido dos quadros mais graves, alguns médicos receitam medicamentos anticonvulsivantes e anti-hipertensivos. A intenção é proteger sua saúde e, consequentemente a do bebê que pode vir a nascer de forma antecipada caso o controle do distúrbio não seja realizado.

Somente em casos de risco eminente para ambos, os médicos optam pelo parto antecipado. No mais, o recomendado é que o bebê fique o maior tempo possível dentro da barriga para um melhor e adequado desenvolvimento.

Como vimos, a coisa é bem séria, futuras mamães? Embora algumas situações não possam ser controladas para evitar a pré-eclampsia, alguns cuidados básicos são de grande importância para a detecção precoce do problema e tratamento mais rápido e eficaz. Um deles é algo que deve ser feito em qualquer situação durante a gravidez: opré-natal. Você precisa seguir rigorosamente todas as instruções do seu médico.

Evitar a pré-eclâmpsia

Outros hábitos que você pode e deve adotar antes e durante a gestação:

– Consulte seu ginecologista antes de engravidar. Ele vai avaliá-la com inúmeros exames para saber como anda sua saúde e inicar a introdução de ácido fólico na sua alimentação;

-Exercite-se durante toda a gestação com práticas compatíveis com cada fase e condições no momento;

– Coma menos sal;
– Evite o cigarro;
– Lei seca na gravidez. Nada (nada mesmo!) de álcool;

E não se esqueçam: a hipertensão é uma doença muitp traiçoeira. Você pode já tê-la adquirido e não apresentar nenhum sintoma. Por isso, uma forma leve de pré-eclampsia pode se instalar e acarretar problemas mais graves que só serão descobertos quando algo pior acontecer. Portanto,fique de olho desde o início sem descuidar,ok?

Sobre o autor:

Vandeni Navarro

Vandeni Navarro

Formada em pedagogia pela UNITAU, especializou-se na área de crianças especiais. Mãe de dois filhos, atualmente dedica-se ao blog e a família.
Deixe seu comentário

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *