Polidrâmnio: aumento do liquido amniótico

Já ouviram falar em Polidrâmnio, é aumento de liquido amniótico.

 
 

POLIDRÂMNIODurante a gestação, já no início da formação do feto, uma série de elementos compõe a proteção do mesmo dentro da barriga da mãe. Lá dentro eles ficam quentinhos, protegidos de qualquer agressão externa e se preparam para chegar ao nosso mundo louco, ao longo de 9 meses. Um dos “responsáveis” pela proteção do seu baby em sua barriga é o líquido amniótico. Esse líquido em casos raros, pode ser excessivo, o que chamados de Polidrâmnio, acomete cerca de 1% das gestantes por fatores diversos.

Por volta do segundo trimestre de gestação, o bebê começar a engolir o líquido e eliminá-lo como urina. Daí, o bebê reaproveita todo o liquido em apenas algumas horas e o liquido amniótico fica sendo quase todo formado pela urina dele. Em alguns casos existe um desequilibrio no processo, causando um acúmulo ou perda considerável do líquido no útero.

Para que serve o liquido amniótico

Para quem pensa que o líquido amniótico têm somente a função de envolver o bebê (como eu pensava!), a surpresa: além de possuir funções como amortecer choques e movimentos bruscos, é ele que não permite o alongamento do cordão umbilical que, caso o fosse, causaria problemas graves de oxigenação para o bebê. Além disso, a temperatura, a formação dos sistemas respiratório e digestivo também são formados pelo líquido.

Sintomas e Causas do aumento do liquido amniótico

Felizmente, alguns sinais permitem que as futuras mamães o acúmulo do líquido no útero. Um deles é o crescimento excessivo da barriga, seguido de falta de ar e uma sensação de pele muito esticada. O que deve ser analisado com cuidado para não causar alarde, já que esses sintomas são apresentados normalmente em uma gestação. A única forma de tirar as dúvidas é por meio de uma ultrassonografia solicitada pelo seu obstetra.

Alguns problemas mais complexos de polidrâmnio podem ser causados por doenças que afetam o bebê como:
– rubéola;
– incompatibilidade de fator RH sanguíneo (o bebê pode desenvolver anemia e até mesmo, problemas em seus cromossomos, como exemplo, a Síndrome de Down);
– Diabetes não controlada na gestante (causa a urina em excesso do bebê).

Tratamento para gestante com aumento de liquido aminiótico

A boa notícia é que muitas mamães com esse problema, dão a luz a bebês totalmente saudáveis; o que não reduz a importância de um acompanhamento que detecta o problema mais cedo e permite o tratamento mais precoce, protegendo mãe e filho.

Se a grávida teve o problema confirmado com a ultrassonografia, Os médicos solicitam repouso para evitar que o bebê fique mais apressadinho e resolva chegar antes da hora, o que ocorre por conta do descolamento da placenta.

A dica é simples, mamães: acompanhamento médico rigoroso em toda a gestação. Ao perceber qualquer sinalzinho anormal (mesmo que seja uma tontura incomum ou dor na perna que não existia), já sabe: ligue para seu médico e agende uma consulta ou vá imediatamente ao consultório.

Deixe seu comentário

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>