Sexagem Fetal: Um exame sangue que identifica o sexo do bebê

Sexagem fetal, é um exame de sangue realizado na mãe, para verificar o sexo do bebê.

18/07/2013 16h20m. Atualizado em 18/07/2013 16h23m por:

 

sexagem fetalA sexagem fetal é um exame de sangue realizado na mãe, para saber o sexo do bebê, e possui aproximadamente um acerto de 100%, desde que seja realizado a partir da oitava semana de gravidez.

Normalmente se realiza um ultrassom a partir da sétima semana de gestação, mas as vezes a visualização do sexo do bebê não é nítido, ou em outras situações a criança se encontra em uma posição que impossibilita ver se o bebê é um menino ou uma menina.

A possibilidade de saber sobre o sexo da criança antes do nascimento, é muito válida, pois os pais podem fazer o enxoval e montar o quarto do bebê de acordo, além de ter bastante tempo para escolher o nome da criança.

sangue materno para exame sexagem fetal

Como funciona o exame Sexagem Fetal

O exame de sexagem fetal não é invasivo, é feito através de uma coleta de sangue da mãe, não necessitando jejum. Retira-se aproximadamente 20ml do sangue materno, onde será analisado o DNA do bebê, incrível, não? A mulher tem dois cromossomas sexuais X, e o homem já possui um Y e um X. Nessa analise a partir do sangue da mãe, eles verificam se existe um cromossoma Y, se ele for detectado o bebê é do sexo masculino. No caso da menina o cromossoma Y não aparece.

No caso de gêmeos idênticos (univitelinos) o teste de sexagem fetal é valido para ambos e o resultado será o mesmo também para ambas crianças, mas já no caso de gêmeos fraternos, bivitelinos se o resultado acusar o cromossoma Y uma das crianças, será menino, mas se não aparecer o cromossoma Y ambos os gêmeos serãodo sexo feminino. O exame de sexagem fetal só pode dar errado, caso a mãe tenha efetuado alguma transfusão de sangue ou transplantado algum orgão de outra pessoa.

Até o momento o exame de sexagem fetal é realizada para verificar o sexo do bebê, mas estão em pesquisa para ver se o mesmo ajuda a identificar algumas doenças e até mesmo efetuar a realização do cariótipo fetal. O que vêm dificultando para isso é a pequena quantidade de células fetais no sangue da mãe.

Sobre o autor:

Vandeni Navarro

Vandeni Navarro

Formada em pedagogia pela UNITAU, especializou-se na área de crianças especiais. Mãe de dois filhos, atualmente dedica-se ao blog e a família.
Deixe seu comentário

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *